Violência, triste realidade!

Violência, triste realidade!
“Por que me mostras a iniquidade e me fazes ver a opressão? Pois a destruição e a violência estão diante de mim…” 
Hc 1.3
Parece que o mundo enlouqueceu. As nossas cidades estão se transformando em campos de sangue. A violência está nas ruas, nas escolas, nas famílias, entre as nações. Falamos de paz, mas gastamos bilhões de dólares fabricando armas de destruição. Temos medo de assalto e medo de sequestro. Temos medo dos bandidos e medo da polícia. Estamos enjaulados dentro de casa, trancados com cadeados e cercas elétricas.A violência não está apenas do lado de fora dos muros, está dentro de casa. Há pais matando filhos e filhos matando pais. Há maridos matando a esposa e esposas matando o marido. Os inimigos do homem são os da sua própria casa. Estamos alarmados, pois no passado nos diziam que a violência era resultado da ignorância e da pobreza. Mas, a violência cresce no meio de gente culta e rica. O problema é que a violência está dentro do nosso coração. É do nosso coração que procedem os maus desígnios.Não podemos resolver o problema da violência apenas com a educação. Precisamos de transformação. Só Jesus pode mudar o nosso coração. Só ele pode colocar amor onde havia ódio. Só ele pode colocar perdão onde havia mágoa. Só Jesus pode trazer paz para o coração, para a família e para a sociedade. Ele é o Príncipe da paz e só ele pode nos dar a paz verdadeira.

 

Referência para leitura: Habacuque 1.1-11

Rev. Darlon Guimarães

Capelão Escolar

paz

0

Mágoa, uma masmorra insalubre!

Mágoa, uma masmorra insalubre!
“Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem…”
Gn 50.20

José do Egito foi vítima de muitas injustiças. Ele sofreu nas mãos de seus irmãos e nas mãos de seu patrão. Ele passou treze anos da sua vida, dos dezessete aos trinta anos, açoitado pelo vendaval das crises mais medonhas. Foi jogado num buraco escuro, vendido como escravo, acusado injustamente e jogado numa prisão imunda. Mas, José jamais deixou seu coração azedar. 
A mágoa jamais teve permissão para se instalar em seu coração.

Ele estava preso, mas sua alma estava livre. Deus restaurou a sorte de José e ele foi exaltado à honrosa posição de governador do Egito. Com o poder nas mãos poderia ter se vingado dos seus irmãos, mas resolveu perdoá-los, dando-lhes o melhor da terra do Egito. José não só perdoou seus irmãos, mas também ergueu um monumento vivo do seu perdão, dando o nome ao seu filho primogênito de Manassés, cujo significado é: Deus me fez esquecer!A mágoa escraviza, mas o perdão liberta. O perdão é maior do que o ódio. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente, a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz. Quem não perdoa não pode ser perdoado. Tome a decisão de perdoar aos seus ofensores. Faça como José: se o seu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber. Não se deixe vencer pelo mal; vença o mal com o bem!

Referência para leitura: Gênesis 50.1-21

Rev. Darlon Guimarães

Capelão Escolar

egito

0

Não tenha medo, tenha fé!

Não tenha medo, tenha fé!
“Então, lhes disse: Por que sois assim tímidos? Como é que não tendes fé?” 
Mc 4.40

O mar estava agitado e os discípulos de Cristo estavam em pânico. O barco estava enchendo-se de água e o naufrágio parecia inevitável. Depois de dissipar toda a esperança de salvamento, os discípulos, apavorados, clamaram a Jesus, num tom de censura: “Mestre, não te importas que pereçamos?”. Jesus repreendeu o vento e fez sossegar o mar, e então, perguntou aos discípulos: “Por que sois assim tímidos, por que é que não tendes fé?”.

Por que aqueles discípulos deveriam ter fé e não medo? Eles deveriam ter fé e não medo por causa da ordem de Jesus para passarem para a outra margem. O medo é um subproduto da incredulidade. Eles deveriam ter fé e não medo por causa da presença de Jesus com eles. O medo nos assalta quando perdemos a perspectiva de que Jesus está conosco todos os dias até a consumação dos séculos. Eles deveriam ter fé e não medo por causa da paz de Jesus, que mesmo no fragor daquela tempestade dormia sereno, confiante na providência do Pai. Eles deveriam ter fé e não medo porque aquele que estava com eles tinha, e tem, todo poder nos céus e na terra.Ainda cruzamos mares revoltos e ainda o medo nos assalta, mas se colocarmos nossos olhos em Jesus poderemos ter fé e lançarmos fora o medo. Portanto, não tenha medo; tenha fé!

Referência para leitura: Marcos 4.35-41

Rev. Darlon Guimarães

Capelão Escolar

b

0
Page 5 of 5 12345